Categoria: Pneus

Pirelli no Festival de Velocidade de Goodwood

Conectividade e sustentabilidade são as palavras-chave da Pirelli no Festival de Velocidade de Goodwood, pontos que marcam o início de uma nova era para os pneus. Esta harmonia surge graças à implementação de sensores com a capacidade de recolher e transmitir informações e à utilização dos materiais mais avançados e certificados por entidades independentes na produção de pneus. Avanços que têm sido implementados pela marca italiana ao longo dos últimos tempos e que agora conhecem dois novos capítulos.

A liderar esta nova era está o Pirelli CyberTM Tyre: um sistema da Pirelli baseado em sensores que, pela primeira vez, permite aos pneus – o único ponto de contacto entre o carro e a estrada – comunicarem com os sistemas de controlo de estabilidade do veículo, incluindo o ABS, o ESP e o controlo de tração. As informações fornecidas pelos sensores são utilizadas para melhorar o desempenho e a segurança. Esta tecnologia será adotada pela primeira vez pelo Pagani Utopia.

Além de oferecer melhor conectividade, esta nova era dos pneus terá um maior foco na preservação do meio-ambiente. A Pirelli continua a investir na investigação e desenvolvimento, através da introdução de novos materiais que substituem os de origem fóssil e da certificação de terceiros que documenta a origem, a rastreabilidade e o uso desses materiais.

Uma parte essencial desta estratégia é a utilização exclusiva de borracha natural certificada pela FSCTM (Forest Stewardship Council) em todas as fábricas europeias da Pirelli, até 20261. A certificação da gestão florestal da FSCTM aplica padrões rigorosos que exigem a preservação da diversidade biológica e a promoção económica dos trabalhadores e das comunidades locais. Uma ampla seleção de veículos topo de gama da Jaguar Land Rover utilizará pneus Pirelli com materiais certificados pela FSCTM, com o grupo JLR a anunciar, no dia 11 de julho, um acordo de fornecimento com a Pirelli para esses produtos.

CYBERTM TYRE: PNEUS QUE COMUNICAM COM O SISTEMA ELETRÓNICO DO CARRO

Os P Zero Corsa, P Zero Trofeo RS e P Zero Winter são os modelos desenvolvidos especificamente para o Pagani Utopia que contam com sensores especiais, colocados na parte interna da banda de rodagem. Estes sensores, conectados via Bluetooth à eletrónica do carro que gere os sistemas dinâmicos do veículo, fornecem informações úteis para que o carro possa selecionar o modo de condução ideal, maximizando o potencial dos pneus montados. Este diálogo entre o carro e os pneus é possibilitado pelo software criado e implementado pela Pirelli, que trabalha diretamente com o “cérebro” eletrónico do carro. Por exemplo, se o carro estiver equipado com pneus de inverno, o ABS ajustará o seu funcionamento para reduzir as distâncias de travagem. Por outro lado, com pneus semi-slick, o controlo de estabilidade e tração ajustar-se-á para aproveitar a maior aderência disponível. Sem esta informação, todos os sistemas que governam a dinâmica do carro funcionariam de forma mais conservadora, utilizando suposições e mapas de motor que não têm em consideração as características e desempenho individuais dos pneus. Este “conhecimento técnico” permite que os sistemas de controlo do carro funcionem de forma mais eficaz, melhorando o desempenho e a segurança.

A tecnologia Pirelli CyberTM Tyre é uma oferta única no mercado, já presente em alguns carros atualmente à venda, mas que agora ganha esta nova funcionalidade, aumentando o nível de especialização da eletrónica dos carros, também no que diz respeito à condução autónoma.

APENAS BORRACHA NATURAL CERTIFICADA PELA FSCTM NOS PNEUS FABRICADOS NA EUROPA ATÉ 2026

Até 2026, toda a borracha natural utilizada nas fábricas europeias da Pirelli será certificada pela FSCTM: um processo que já foi iniciado e que será gradualmente implementado em todas as fábricas. A certificação de gestão florestal da FSCTM atesta que as plantações são geridas de forma a preservar a biodiversidade e a trazer benefícios para trabalhadores e habitantes locais. A certificação da cadeia de custódia da FSCTM atesta que o material certificado pela FSCTM foi segregado propositadamente e não se encontra contaminado por materiais não certificados, desde a plantação até ao fabricante de pneus.

Na edição de 2024 do Goodwood Festival of Speed, a Pirelli anunciou uma colaboração com a Jaguar Land Rover (JLR) para fornecer pneus que contam com materiais de origem florestal certificados pela FSCTM em toda a sua gama de veículos de luxo.

Em 2021, a Pirelli criou o primeiro pneu de estrada do mundo com borracha natural e rayon certificados pela FSCTM. Outros marcos significativos nesta jornada incluem a introdução de pneus feitos com borracha certificada pela FSCTM na Fórmula 1, desde o primeiro grande prémio de 2024, bem como a estreia da certificação FSCTM no ciclismo há algumas semanas com o novo Pirelli P Zero Race RS2.

VIRTUALIZAÇÃO E INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL SÃO A CHAVE PARA O DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS

As novas ferramentas, como a virtualização e a inteligência artificial, aceleraram o desenvolvimento de produtos e tecnologias, graças, também, ao compromisso da Pirelli com a investigação e desenvolvimento, com a empresa a investir cerca de 5,5% das suas receitas provenientes de vendas de pneus de alto valor todos os anos.

Estes investimentos e metodologias levaram a Pirelli à liderança do mercado de veículos elétricos graças à tecnologia Elect, que foi desenhada para complementar as características dos veículos eletrificados (tanto VE como PHEV). A Pirelli lançou também o P Zero E3 em 2023: o primeiro pneu UHP com mais de 55% de materiais reciclados e de origem biológica, em toda a gama de lançamento de pneus de substituição (certificados por terceiros de acordo com a norma ISO 14021), com uma classificação de triplo A no rótulo de pneus da UE, e a nova tecnologia Pirelli RunForward à prova de furos.

Este produto sublinha o compromisso da Pirelli com a redução da utilização de materiais de origem fóssil em favor de materiais naturais ou reciclados. Para que os clientes possam identificar produtos que contêm pelo menos 50% de materiais reciclados ou de origem biológica, a Pirelli desenhou um logótipo específico para colocar nas paredes laterais dos pneus. O pneu mais recente a ostentar esta marcação personalizada é o novo P Zero Winter 2 Elect4, lançado há poucas semanas, apresentando mais de 50% destes materiais (também certificado por terceiros).

GP de Barcelona 2024: Max vence novamente!

Max Verstappen voltou a impor a sua autoridade. O piloto da Red Bull assegurou uma vitória significativa no Grande Prémio de Espanha, após alguns duelos intensos no início da corrida, primeiro com Lando Norris e depois com George Russell, demonstrando uma excelente gestão de pneus.

Norris tentou uma estratégia diferente de Verstappen, mas foi ultrapassado no início da corrida, prolongando depois os seus dois primeiros stints para tentar alcançar o líder nas fases finais com pneus macios teoricamente mais frescos. No entanto, vale a pena notar que Max utilizou o seu conjunto de C3 novos no último stint, enquanto Norris já os tinha utilizado no início.

Lewis Hamilton foi terceiro, regressando ao pódio pela primeira vez desde o Grande Prémio do México do ano passado. Isto significa que, todos os anos desde a sua estreia em 2007, durante 18 temporadas consecutivas, o sete vezes campeão mundial conseguiu terminar no top três pelo menos uma vez.

Esta foi a 61.ª vitória de Verstappen, a quarta nesta pista, onde há oito anos obteve a sua primeira vitória na Fórmula 1. Para a Red Bull, é a vitória número 120, a sétima em dez corridas nesta temporada, e esses números significam que o holandês é responsável por pouco mais de metade do total de vitórias da equipa.


O DIA NA PISTA

Não se registaram desistências, com 11 dos 20 pilotos a completarem a distância total, enquanto nove foram dobrados. Todos os 19 pilotos na grelha de partida começaram com os pneus macios C3. Por seu turno, Albon, que teve de começar a partir da via das boxes, optou pelo composto C2. As paragens nas boxes começaram logo na volta 9 com Tsunoda, mas os líderes esperaram até à volta 15 (Sainz e Russell) para trocarem para médios, com Norris e Leclerc a prolongarem os seus stints o máximo possível, até à volta 23 no caso do primeiro e 24 no caso do segundo. Para o terceiro stint, os pneus duros também entraram em ação, sendo utilizados pela maioria dos pilotos. No entanto, entre os líderes, os pneus macios, escolhidos por Verstappen, Hamilton, Leclerc e pela dupla da McLaren, prevaleceram na parte final da corrida. Apenas Sainz e Russell optaram pelos duros.

Apenas dois pilotos, Perez e Tsunoda, fizeram três paragens, enquanto 12 usaram todos os três compostos disponíveis: além dos dois já mencionados, os únicos pilotos que não o fizeram foram Perez, Albon e Bottas. O finlandês fez o stint mais longo, realizando 37 voltas com os duros, enquanto Zhou liderou a lista de voltas realizadas com os pneus médios (32 voltas) e Leclerc com os macios (24).

MARIO ISOLA – DIRETOR PIRELLI MOTORSPORT

“Foi uma corrida muito intensa e por vezes espetacular. Aqui estou a pensar no início incrível de Russell, semelhante ao de Alonso em 2011, e nos duelos entre o britânico com Max e depois com Lando. A corrida entre os líderes foi como um jogo de xadrez entre as quatro equipas que preencheram os oito primeiros lugares, com movimentos e escolhas estratégicas e, claro, ao nível da gestão de pneus. No entanto, do nosso lado, foi realmente uma corrida muito linear. Todos os três compostos registaram um bom desempenho, tanto em termos de desgaste como de degradação, apesar de as temperaturas terem sido significativamente mais altas do que as previstas ontem. O mesmo pode ser dito das estratégias, no que diz respeito ao uso dos pneus e às janelas de paragem nas boxes. Os pneus macios e médios ofereceram o melhor desempenho. Apesar das temperaturas mais altas, os pneus duros tiveram um pouco de dificuldade em termos de desempenho geral, não oferecendo uma vantagem decisiva no que à degradação diz respeito.”

O QUE SE SEGUE?

O calendário do Campeonato Mundial de Fórmula 1 está no seu período mais preenchido neste momento, com cinco Grandes Prémios no espaço de seis semanas: depois de Barcelona, segue-se o Grande Prémio da Áustria no próximo fim de semana, a terceira ronda deste ano a apresentar o formato Sprint. Também no próximo fim de semana, Spa-Francorchamps acolhe as 24 Horas Crowdstrike, a ronda mais importante do Fanatec GT World Challenge Europe. Não menos de 67 carros estarão em pista, todos com pneus Pirelli.

Novos Pneus Pirelli para o Porsche 911 GT3 e 911 GT3 RS

A colaboração entre a Pirelli e a Porsche resultou em quatro pneus desportivos para o emblemático Porsche 911. Surgem, assim, os P Zero Trofeo RS e P Zero Corsa para o Porsche 911 GT3 RS, e os P Zero Trofeo R e P Zero Corsa para o 911 GT3. 

Estes novos pneus foram especificamente concebidos para oferecer uma condução segura e agradável tanto nas estradas como nas pistas. Entre estes, o P Zero Trofeo RS – o produto mais orientado para o desempenho da gama da Pirelli – foi recentemente considerado o melhor pneu semi-slick homologado para condução em estrada para track days pela revista alemã Auto Bild Sportscars, que comparou vários pneus num Porsche 911 GT3 RS.

PORSCHE 911 GT3 RS

O Porsche 911 GT3 RS apresentou vários desafios técnicos no desenvolvimento dos pneus, já que havia a exigência de melhorar as características do carro na estrada, mas também oferecer um desempenho próximo ao de um carro de corrida, graças à aerodinâmica extrema e à leveza do veículo. Estas exigências bastante opostas foram alcançadas por dois novos pneus da Pirelli, ambos nas medidas 275/35R20 na frente e 335/30R21 na traseira. O P Zero Trofeo RS é um pneu semi-slick projetado para alcançar altos níveis de desempenho em circuitos, enquanto o P Zero Corsa é mais orientado para uma utilização em estrada.

O P Zero Trofeo RS para o Porsche 911 GT3 RS possui um intervalo de operação ainda mais amplo do que o do P Zero Trofeo R, o que decorre principalmente da experiência da Pirelli nos mais importantes inventos de automobilismo a nível mundial. O novo pneu permite aos condutores explorar ao máximo as capacidades do veículo no circuito, logo desde as primeiras voltas, graças à sua rápida capacidade de aquecimento que proporciona uma aderência imediata. Além disso, possui uma grande resistência ao stress, mesmo durante as sessões de condução mais exigentes, devido à taxa reduzida de desgaste. Isso é possível graças a uma estrutura interna reforçada, que oferece suporte mesmo sob cargas aerodinâmicas significativas, além de um desenho de banda de rodagem otimizado através de simulação virtual, e materiais dedicados derivados de um composto utilizado em ralis de asfalto.

Além do seu impressionante desempenho em condições de piso seco, o P Zero Trofeo RS permite uma condução segura mesmo em condições de piso molhado.

PORSCHE 911 GT3

O P Zero Trofeo R para o Porsche 911 GT3 também conta com tecnologias e processos que nasceram no mundo do desporto motorizado. É um pneu que evoluiu continuamente, alcançando o seu pico de desenvolvimento nesta última versão dedicada ao Porsche, que também serviu de base para o P Zero Trofeo RS, que calçará o 911 GT3 RS. Tanto o P Zero Trofeo R como o P Zero Corsa para o 911 GT3 estão disponíveis nas medidas 255/35R20 e 315/30R21.

Novos Pneus Powergy All Season SF e Winter Completam a Gama Powergy

A Pirelli apresentou as versões de inverno e All Season do pneu Powergy, um produto de reposição para crossovers, SUVs, sedãs e minivans. Os novos Powergy Winter e Powergy All Season SF foram projetados para condutores que procuram uma solução acessível para a troca de pneus, sem sacrificar a segurança, a eficiência e o conforto.

 POWERGY ALL SEASON SF

O Powergy All Season SF é a escolha perfeita para quem deseja respeitar as regulamentações europeias ao longo do ano com um único pneu, graças às suas marcações duplas M+S (Lama + Neve) e 3PMSF (Três Picos de Montanha com Floco de Neve). Esta última certifica que o pneu passou em testes em condições de inverno tipicamente severas. A eficácia do Powergy All Season SF em piso seco, molhado e com neve foi alcançada através de uma combinação de compostos e ao novo design, graças às lamelas 3D que tornam a banda de rodagem adaptável a uma ampla gama de condições. Esta tecnologia altera o comportamento do pneu que pode passar de uma configuração de verão (com blocos rígidos e compactos) para uma configuração de inverno (adequada para aderência na neve), graças à capacidade das lamelas de abrir e fechar conforme as condições meteorológicas. A gama Powergy All Season SF, com 19 medidas entre 15 e 19 polegadas, estará disponível a partir de agosto.

POWERGY WINTER

Para os condutores que ainda preferem a troca sazonal de pneus, a Pirelli apresentou o novo Powergy Winter, que garante uma condução segura em piso seco, molhado e com neve durante os meses mais frios do ano. O controlo de condução ao longo da vida útil do pneu é garantido por lamelas de geometria variável que mudam de forma à medida que a banda de rodagem se desgasta progressivamente, aumentando a sua área de contacto e eficácia. A gama inclui 21 medidas entre 15 e 19 polegadas, disponíveis para compra a partir do outono.

Novo Pirelli P Zero Winter 2: Um Especialista de Inverno para Carros de Luxo

A Pirelli apresentou o P Zero Winter 2, uma evolução do famoso pneu de inverno dedicado a modelos de alto desempenho. A equipa de Investigação e Desenvolvimento da Pirelli recorreu a técnicas de design virtual para criar um produto completamente diferente do seu antecessor, que já demonstrava excelentes resultados em diferentes condições de utilização.

O novo pneu foi desenvolvido em versões próprias para condutores de carros elétricos e híbridos plug-in, com 13 medidas disponíveis no momento do lançamento com a tecnologia Pirelli Elect: um pacote de tecnologias específicas para as características dos veículos elétricos. Estes pneus P Zero Winter 2 com tecnologia Elect também possuem a tecnologia de supressão de ruído da Pirelli (PNCS), que reduz o ruído de rolamento até 3 dB, graças a uma esponja absorvente de som no interior do pneu.

Além disso, a gama de reposição do P Zero Winter 2 com tecnologia Elect conta com mais de 50% de materiais reciclados ou de origem biológica* (certificados por terceiros de acordo com a ISO 14021). Esta característica pode ser reconhecida com a marcação no flanco do pneu,  um logotipo recentemente introduzido pela Pirelli para identificar produtos com um conteúdo de materiais sustentáveis de pelo menos 50%.

O P Zero Winter 2 conta com um design direcional e é visivelmente diferente do seu antecessor, que tinha um design de banda de rodagem assimétrico. Este novo design permite alcançar um desempenho substancialmente elevado na neve, bem como melhores níveis de travagem e de manobrabilidade em superfícies secas, graças à rigidez e aderência uniformes em toda a área de contacto. As lamelas, com uma estrutura 3D, que garante uma eficiência consistente durante toda a vida útil do pneu, são mais largas na área de contacto e estreitam-se para dentro. Esta característica aumenta a aderência em superfícies cobertas de neve e otimiza o desempenho de condução. Os sulcos principais estão conectados transversalmente por lamelas menores, formando um padrão que garante aderência em superfícies escorregadias em todas as condições.

O composto da banda de rodagem foi desenhado para oferecer um comportamento equilibrado e seguro em diferentes superfícies durante o inverno. Em particular, o novo P Zero Winter 2 ostenta a classificação mais alta no rótulo de pneus da UE em aderência em piso molhado (classe A) em toda a gama.

A nova gama de reposição inclui 35 medidas entre 18 e 22 polegadas. Existem também vários projetos de equipamento original em andamento com alguns dos fabricantes de automóveis mais conhecidos do mundo, como a Mercedes (para o AMG GT), e a Aston Martin. 

A BMW está entre os primeiros a escolher este novo produto, tendo homologado o P Zero Winter 2 como equipamento de inverno para a Série 7, um produto capaz de realçar as características específicas da viatura. Desenhado para reduzir a tradicional lacuna de desempenho em relação ao produto equivalente de verão, o P Zero Winter 2 oferece um maior prazer de condução e um maior conforto, características que vão de mãos dadas com o carro elétrico da BMW, mesmo nos meses mais frios. Este é o primeiro pneu de inverno com uma resistência ao rolamento suficientemente baixa para merecer a “classe A” no rótulo de pneus da UE.

Pirelli: Foco na Tecnologia e Sustentabilidade na Tire Cologne 2024

A Pirelli está em destaque na “The Tire Cologne 2024” – a mais importante feira de pneus da Europa – com novos produtos para todas as estações e outros produtos especializados, com as tecnologias mais avançadas e um forte compromisso com a sustentabilidade.

O protagonista é o Pirelli P Zero Winter 2: um pneu de inverno para carros de alto desempenho, que possui a mais alta classificação no rótulo de pneus da UE em aderência em piso molhado em todas as medidas no momento do lançamento. 

No total, 13 medidas da gama contarão com a tecnologia Elect, criada especificamente para BEVs e PHEVs. Estes pneus, feitos com mais de 50% de materiais reciclados e de origem biológica (certificados independentemente), serão exibidos numa área do stand dedicada à sustentabilidade.

Uma versão do P Zero Winter 2 projetada para responder aos requisitos específicos do BMW Série 7 também estará na feira. Esté é o primeiro pneu de inverno para automóveis a obter a “classe A” em resistência ao rolamento no rótulo de pneus da UE. Esta é uma característica chave para carros eletrificados em particular, permitindo-lhes poupar energia e percorrer mais quilómetros com uma única carga.

Outros dois pneus exibidos na “The Tire Cologne” serão o Powergy Winter e o Powergy All Season SF. Estes produtos complementam a versão de verão lançada há três anos, compondo a gama Powergy com um maior leque de opções. Esta família de pneus foi concebida para condutores que procuram uma solução acessível, sem comprometer a segurança a eficiência e o conforto.

O stand da Pirelli também tem em exibição um pneu equipado com a tecnologia Pirelli Cyber Track Adrenaline: um P Zero Trofeo RS desenvolvido para o Audi RS 4 Avant edition 25 years. Este produto foi projetado para os entusiastas dos track days e permitir-lhes-á contar com um “assistente virtual”, na forma de uma aplicação alimentada por sensores dentro dos pneus, que fornecerá informações para ajudar a tirar o máximo partido do pacote carro-pneu num circuito.

Rali da Sardenha: Tanak Alcança vitória na Power Stage

Ott Tanak conquistou a primeira vitória da temporada no Rali da Sardenha, superando Sebastian Ogier por apenas 0,2 segundos. O piloto da Estónia iniciou o dia de domingo com 17,1 segundos de desvantagem para o francês, mas chegou à liderança na Power Stage. Dani Sordo, da Hyundai, fechou o pódio, mas os pontos valiosos do Super Sunday e da Power Stage foram, na verdade, para Thierry Neuville, que teve uma saída de estrada na ES8, o que não lhe permitiu terminar no pódio.

Além de ver Tanak regressar ao círculo dos vencedores, a ronda italiana também carimbou a eficácia da nova geração de pneus de gravilha Pirelli Scorpion que, depois de se terem estreado em Portugal, em meados de Maio, deram provas do seu valor nas estradas da Sardenha que representam provavelmente o desafio mais difícil de toda a temporada.

As estratégias de pneus adotadas pelas equipas foram em grande parte influenciadas pelas características dos traçados e pela introdução de um novo formato que obrigava as equipas a fazer as segundas passagens sem manutenção ou troca de pneus. Sexta-feira foi o teste mais difícil para os, devido à natureza abrasiva da superfície da estrada, e o Scorpion Duro (opção principal para este rali) foi o único pneu escolhido. A única diferença estava no número de peças sobressalentes, com Sordo, Neuville, Evans e Ogier a arriscar com apenas uma. Na manhã de sábado, os pisos mais mistos das quatro etapas programadas levaram as equipas a optar por uma estratégia com 4 Scorpion Macios e 2 Duros, excetuando Adrien Fourmaux, que foi com 3 pneus de cada e Ogier que optou por 2 duros e 3 macios. À tarde, apenas a Hyundai preferiu ir com 4 duros e 2 macios, enquanto a maioria dos pilotos optou por 3 duros e 3 macios, incluindo Ogier que, na segunda parte do dia, afastou-se do pelotão. Na manhã de domingo, com superfícies mais macias e consistentes, todos optaram por cinco pneus macios, exceto Sordo que inseriu um duro no quinteto.

Sam Pajari, ao volante de um Toyota Yaris, venceu no WRC2 e  Diego Dominguez no JWRC.

CITAÇÃO PIRELLI

Terenzio Testoni, responsável pelas atividades de Rali da Pirelli: “O Rali da Sardenha confirmou que o desenvolvimento dos nossos pneus de gravilha alcançou os resultados esperados. Estamos muito satisfeitos com os comentários positivos dos pilotos, a resistência e durabilidade que demonstraram nestas etapas tão difíceis e mesmo quando se encontravam desgastados devido às primeiras passagens. Especialmente na sexta-feira, os novos pneus duros provaram claramente ser muito resistentes ao desgaste, enquanto no sábado e domingo, os novos pneus macios demonstraram ser resistentes a furos. O novo formato mais curto do rali revelou-se um desafio para todos, mas no geral diria que esta experiência realizada pela ACI, a pedido do Promotor e da FIA, foi um sucesso e foi apreciada pelos espetadores. Além de Ott, os meus parabéns também vão para Sam, que dominou no WRC2, e Diego, pela vitória no Junior WRC, ambos os jovens são excelentes representantes das suas duas escolas de rali. Por outro lado, é uma pena o facto de Seb, que largou em último na Power Stage, ter tudo que lidar com uma superfície de estrada muito desgastada e com as condições terríveis que danificaram uma jante e lhe fizeram perder segundos preciosos. Vale destacar o excelente desempenho de Roberto Daprà, apoiado pela ACI Team Italia e pela Pirelli, que terminou em nono em sua estreia no campeonato mundial no WRC2.”

Edição de 2024 do Rali da Sardenha com novo formato

Rally Italia Sardegna será o palco da sexta etapa do campeonato mundial. Este ano, a prova regressa a Alghero, numa versão mais compacta, muito diferente das provas anteriores, com 16 etapas especiais em vez das habituais 20, cobrindo um total de 266,12 quilómetros cronometrados. Na verdade, serão apenas três dias de competição, de sexta a domingo, com o shakedown no início do primeiro dia, perto das primeiras especiais da tarde. Essa não é a única alteração, pois as etapas serão repetidas no mesmo trecho do rali, pelo que não haverá serviço ou troca de pneus antes das repetições. Estas mudanças foram bem recebidas pelos organizadores do Rali da Sardenha, a ACI, por sugestão do WRCP e da FIA, como uma experiência para tornar o rali mais acessível e emocionante para os espetadores. Ao mesmo tempo, as alterações terão um efeito bastante profundo na severidade das etapas, que, historicamente, sempre foram desafiantes para pilotos, carros e pneus. O que torna o Rali da Sardenha exigente são os pisos duros e irregulares do norte da ilha, que se tornam ainda mais acidentados nas segundas passagens, quando a superfície fina e escorregadia é varrida. O calor deverá ser um fator adicional de dificuldade, uma vez que as temperaturas podem ultrapassar a marca dos 30 graus.

O DESAFIO

Os pilotos terão de prestar especial atenção à etapa Tergu-Osilo, a primeira da prova, que será mais longa do que no passado e, portanto, será provavelmente uma das mais desafiantes de toda a temporada, com a gestão dos pneus a desempenhar um papel fundamental. Não menos desgastante será a Tula SS, devido às muitas mudanças de ritmo, e às superfícies acidentadas em estradas estreitas, e a clássica Monte Lerno, famosa pelos seus saltos complicados.

A enfrentar estes desafios juntamente com as equipas estarão os novos pneus Pirelli de gravilha que tiveram um bom desempenho na sua estreia no Rali de Portugal. Estes novos pneus apresentam uma nova construção, que garante níveis de durabilidade e resistência ainda maiores do que a geração anterior, enquanto as suas características de desempenho permanecem as mesmas.

Na Sardenha o composto duro Scorpion KX WRC HB será o principal e o composto macio Scorpion KX WRC SB será a alternativa.

CITAÇÃO PIRELLI

Terenzio Testoni, gestor de atividades de rali: “As alterações introduzidas para no Rali da Sardenha são dignas de nota e muito interessantes, colocando os organizadores na vanguarda em termos de experimentação de um novo formato de rali, a pedido do Promotor e da FIA, que provavelmente se tornará o padrão no futuro. Significa que esta edição do Rali da Sardenha será presumivelmente ainda mais desafiante e exigirá que os pilotos estejam ainda mais atentos do que o habitual, especialmente no que diz respeito à gestão dos pneus. Sabemos que é quando repetem as mesmas etapas que as coisas ficam mais desafiantes e ter de fazê-lo sem trocar os pneus significa que a utilização sensata dos pneus será fundamental.”

OS PNEUS NA SARDENHA

Para os carros de Rally1, o regulamento estipula uma alocação de 28 pneus da opção principal e 8 pneus do composto alternativo, respetivamente. As tripulações podem aumentar o número de pneus do composto alternativo para 12, o que implica reduzir as unidades do composto principal para 24.

Tal como nas restantes categorias da Sardenha, os carros de Rally2 serão fornecidos com os novos K4C (duros), que possuem as mesmas características de desenvolvimento dos novos pneus de gravilha para os carros de Rally1 e do Scorpion K6B (macios). Os carros de Rally3 terão à disposição o K4A (duro) e o K6A (macio). Para estas categorias, a alocação é de 26 pneus do composto principal e 8 do composto alternativo, o número destes últimos pode ser aumentado para 12, sendo que tal implica uma diminuição de 4 unidades do composto principal.

Pneus Pirelli com Sensores para o Audi RS 4 Avant Edition 25 Years

A Pirelli será o fornecedor exclusivo de pneus da Audi Sport para o Audi RS 4 Avant edition 25 years. A edição de aniversário do desportivo icónico contará com duas opções de pneus: Pirelli P Zero Corsa como equipamento original e um kit de corrida (track kit) específico, composto por pneus Pirelli P Zero Trofeo RS equipados com tecnologia Cyber e combinados com o sistema Track Adrenaline da Pirelli, ambos nas medidas 275/30R20.

O P Zero Corsa é um pneu de alto desempenho adequado para uma condução desportiva, baseado nas tecnologias desenvolvidas pela Pirelli para corrida. É também o equipamento ideal para conduzir o Audi RS 4 Avant edition 25 years na estrada, graças aos seus elevados níveis de tração, conforto e segurança em piso seco e em piso molhado.

Estabilidade, resistência ao stress, aderência e consistência nas pistas são as características do novo P Zero Trofeo RS, o pneu semi-slick legalizado para uma utilização nas estradas, projetado pela Pirelli para alcançar o máximo desempenho. Os pneus P Zero Trofeo RS, feitos à medida para o Audi RS 4 Avant edition 25 years, contam com sensores Pirelli Cyber que detetam o estado dos pneus e as condições de condução, transmitindo essas informações ao condutor através de uma aplicação que pode ser descarregada em qualquer smartphone. Estes elementos, que juntamente com um módulo de GPS de alta precisão constituem o sistema Track Adrenaline, funcionam como um ‘engenheiro virtual’ durante as sessões de track days. Com o manómetro digital, os condutores podem selecionar a configuração desejada antes de iniciar a condução. Depois, durante a sessão, as informações registadas pelos sensores, bem como a telemetria detetada pela unidade de controlo e os dados do módulo GPS, são utilizadas para registar os tempos das voltas e a trajetória ideal de corrida. Após a sessão, os condutores podem analisar os dados registados através do aplicativo e, assim, melhorar a sua técnica de condução.

Se acompanhados por um passageiro, os pilotos também podem ativar a função ‘live view’, que – tal como o rádio da equipa na Fórmula 1 – emite mensagens imediatas e breves para ajudar o piloto: sugerindo, por exemplo, que aqueça os pneus ou que entre nas boxes.

Estes novos pneus e o kit Track Adrenaline para o Audi RS 4 Avant edition 25 years marcam um novo capítulo na colaboração entre a Pirelli e a Audi para a linha RS. Entre os muitos modelos que beneficiaram deste trabalho de desenvolvimento conjunto está o primeiro Audi RS 4, lançado há 25 anos, que foi originalmente equipado com pneus da família P Zero. Não podemos deixar de mencionar a competição RS 4, da qual a Pirelli é fornecedora exclusiva de equipamento original, ou o RS Q8 e o RS 3, que estabeleceram os recordes de Nürburgring em 2019 e 2021, respetivamente. Hoje, a linha Pirelli para a Audi RS conta com 36 homologações, incluindo pneus de verão, inverno e específicos para os circuitos.

Novo Scorpion brilha na estreia no Rali de Portugal

Os novos pneus Scorpion passaram no exigente teste do Rali de Portugal, com Sebastien Ogier, piloto da Toyota, a bater a concorrência num rali cheio de emoção e que contou com diversas alterações na classificação. Ott Tanak, que venceu o Super Sunday, e Thierry Neuville, que levou a melhor na Power Stage, termiaram na segunda e terceira posição respetivamente.

Entre as principais características de um rali que, em alguns aspetos, foi atípico, foi o facto de o piso da estrada estar muitas vezes escorregadio durante a manhã, especialmente para os primeiros carros, devido ao orvalho, com menos terra do que o habitual, o que colocou vários desafios no que à aderência diz respeito.

Nestas condições, o composto macio Scorpion KX WRC SB, foi, sem surpresas, o principal, tendo sido de longe a escolha preferida dos pilotos de Rally1, que só optaram pelo duro na tarde de sexta-feira, para a segunda passagem daquele que foi o dia mais exigente de todo o rali.

CITAÇÃO PIRELLI

Terenzio Testoni, responsável pelas atividades de rali da Pirelli: “Estamos muito satisfeitos com os novos pneus, especialmente os macios, que provaram ser adequados para as superfícies molhadas e frias encontradas pela manhã, bem como para as condições de piso seco à tarde, quando foram usados em combinação com o composto duro, criando uma grande sinergia. Essa versatilidade, combinada com uma maior resistência, crucial para eventos como o de Portugal, é derivada das tecnologias runflat desenvolvidas pela Pirelli. É um desenvolvimento contínuo como este que serve para ultrapassar sempre os limites com soluções projetadas para os carros de topo que depois se espalham para todos os outros. Quanto à corrida, os meus elogios vão obviamente para Ogier, mas também para os pilotos da Hyundai que lutaram até ao fim, especialmente Tanak que merecia mais sorte. Takamoto também fez um excelente trabalho ao dominar a primeira parte do rali.”

No WRC2 Jan Solans, da Toyota, superou Josh McEarlan e Joona Lauri, ambos ao volante de um skoda, e aproveitou da melhor forma o azar que se abateu sobre Oliver Solberg, Gus Greensmith e Yoan Rossel, que lideraram a categoria até cerca de metade da prova.